domingo, 14 de outubro de 2012

somos nós próprios

as crianças, após terem sido membros de Satanás,
têm, repetidamente, fracassado, por terem tentado o impossível.
mas nós, que somos atores do drama, que nos achamos
emaranhados na rede de afetos pessoais e esperanças de caráter público,
dificilmente podemos encarar tal atitude com sinceridade.

às vezes, porém, os infortúnios acontecem também àqueles que são virtuosos
— e, em tais casos, que é que temos a dizer? "Finalmente, acima de tudo,
cada um de nós possui um mérito inteiramente único:
somos Nós Próprios!".


remix dos Ensaios Impopulares, de Bertrand Russell; tradução de Brenno Silveira, 1956.

por mandato de uma misericórdia imerecida

por mandato de uma misericórdia imerecida,
a palavra liberdade teve significados estranhos,
a forma mais grosseira de abuso do poder;
uma estranha amálgama de anjo e demônio.

por mandato de uma misericórdia imerecida,
a cultura se tornou estereotipada,
espécie de negação verbal da doutrina mística;
uma coleção de cidadãos mentalmente livres.

por mandato de uma misericórdia imerecida,
a conformidade tem os seus perigos,
a única nuvem a pairar sobre a felicidade;
o impulso no sentido da crueldade.

por mandato de uma misericórdia imerecida,
em consequência de um agitação,
desagradáveis como possam ter sido os resultados,
um último grande sistema surgiu das cinzas.

a auto-importância, individual ou genérica acabou por
confessar a origem de sua tristeza.


remix dos Ensaios Impopulares, de Bertrand Russell; tradução de Brenno Silveira, 1956.